Guialazer

Eu vou (0 Pessoas vão a este evento)

Por Fortunato da Câmara, em Madrid

A nova edição do guia Michelin foi mais uma vez contida na atribuição das famosas estrelas a Portugal. Em 2013 o Belcanto recebe a primeira, o que constitui a única entrada para a lista de galardoados, enquanto o Tavares e o Arcadas da Capela perdem a que já tinham conquistado.


 
Noite de emoções em Madrid. O Hotel Ritz estendeu hoje a passadeira vermelha a chefs de cozinha, jornalistas e críticos gastronómicos para a apresentação do Guia Michelin Espanha & Portugal.  Do lado português houve menos motivos de festa do que no ano passado: Portugal ganhou uma nova estrela  – Belcanto, José Avillez – mas perdeu duas (Tavares e Arcadas da Capela). 
 
O anúncio dos restaurantes com direito a estrelas na edição de 2013 foi feito por Mayte Carreño Glaria. A nova directora ibérica do influente guia francês é a primeira mulher a assumir o cargo deixado em Junho por Fernando Rubiato. 
 
O nervosismo e a ansiedade eram visíveis no rosto de muitos dos presentes. Apesar das polémicas que habitualmente envolvem a publicação em relação aos critérios de atribuição das cobiçadas estrelas, o facto é que nenhum cozinheiro com pretensões no universo da cozinha lhe fica indiferente. O centenário guia vermelho continua a ditar, como nenhum outro em qualquer parte do mundo, o sucesso ou insucesso dos chefs e dos seus restaurantes. Não é, portanto, de estranhar a expectativa gerada em torno de cada edição.
 
No que diz respeito a Portugal, o saldo é menos favorável que na edição anterior. O histórico Tavares, em Lisboa, e o restaurante Arcadas da Capela, na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, perdem a estrela que tinham anteriormente. A grande novidade foi a atribuição de uma estrela ao Belcanto, em Lisboa, que reabriu em Janeiro com um novo proprietário. Agora chefiado por José Avillez, o restaurante do Largo de São Carlos alcança a primeira estrela da sua história. O jovem cozinheiro consegue assim, em menos de um ano, recuperar a distinção alcançada em 2010 e 2011, quando estava no Tavares. As restantes classificações do guia mantêm-se, mas Portugal passa a ter menos uma estrela que na edição anterior, ficando assim com um total de 13 (ver lista).
 
O saldo foi francamente mais positivo para os espanhóis, com 16 novos restaurantes a receberem a primeira estrela – apesar de oito terem perdido a que tinham, são 135 espaços com uma estrela. Nas categorias de duas estrelas há mais dois que no guia de 2012, sendo agora 21 os estabelecimentos com o galardão que os identifica como restaurantes de "excelente cozinha, que merecem um desvio", segundo os critérios da marca francesa de pneus. 
 
No restrito clube das três estrelas, cuja atribuição é somente para lugares de "cozinha excepcional e que valem uma viagem", estão agora sete restaurantes, depois de terem entrado o de Quique Dacosta, em Alicante, e o Azurmendi, em Larrabetzu, província da Biscaia.

As estrelas lusas para 2013

**

Vila Joya - Albufeira
Ocean - Armação de Pêra

*

Willie's - Vilamoura
Henrique Leis - Almancil
São Gabriel - Almancil
Fortaleza do Guincho - Cascais
Feitoria (Altis Belém) - Lisboa
Belcanto - Lisboa (nova entrada)
Yeatman - Vila Nova de Gaia
Casa da Calçada - Amarante
Il Gallo d'Oro - Funchal, Madeira

Perdem a estrela

Tavares - Lisboa
Arcadas da Capela - Coimbra