Guialazer

Eu vou (0 Pessoas vão a este evento)

Por Sílvia Pereira

A missão de apostar da criação contemporânea mantém-se forte no festival de artes performativas mais antigo do país. Para a 42.ª edição, o Citemor teve de se adaptar às circunstâncias e redesenhou o programa, mas conseguiu manter, por exemplo, as residências artísticas que são sua marca identitária.


É de uma delas que sai o espectáculo de abertura: "Atlântico", de Tiago Cadete. Doutras, "Primeiro Mandamento - Romeu e Julieta", da Útero, "Se Alquila", de Óscar Cornago e Juan Navarro, "Falsos Amigos", de Miguel Pereira e Guillem Mont de Palol, e "Mondego", da Orquestina de Pigmeo (no encerramento).

A instalação "Biblioteca", de Horácio Frutuoso, e as "Conversas Fictícias" de Ignasi Duarte e Gonçalo M. Tavares completam as propostas.