Guialazer

Por PÚBLICO

Sozinho ou acompanhado, com mais ou menos jeito, o que interessa é participar, brincar e dar tempo a este tempo.


(em actualização)

Actividade
Origamis
Cisnes, corações, flores, cães, coelhos, unicórnios, pássaros, barcos, carros, estrelas ou borboletas. Dos modelos simples aos mais elaborados, o objectivo é explorar o mundo animal e vegetal com a arte japonesa na ponta dos dedos. Com papel e inspiração, constroem-se figuras tridimensionais assentes em dobras geométricas, que além do passatempo e efeito decorativo trazem também benefícios para a motricidade fina. Na internet há ideias, livros e tutoriais para todos os gostos e idades. C.A.M.

Actividade
Lugar do Desenho
O Serviço Educativo do Lugar do Desenho lançou o desafio: “Pesquisa na Internet por ‘Pintor Júlio Resende’, escolhe uma imagem e dá asas à tua imaginação! Inspira-te no universo do pintor e faz um desenho, colagem, fotografia, vídeo ou poema”. A iniciativa é dirigida aos mais novos e já começou a encher de cor o mural da fundação que alberga o espólio de cerca de 2000 desenhos do conhecido artista (1917-2011). Para participar, basta publicar os trabalhos no Instagram com a hashtag #soupintorjulioresende, identificando a fundação (@fundacao_julio_resende), ou enviar para info@lugardodesenho.org. C.A.M.

Oficina
Vamos bater na madeira
“Os trabalhos manuais são uma boa terapia e diz o povo que ‘bater na madeira’ ajuda a afastar as coisas negativas!” Quem o diz é a Marcenaria Artística Pereira, empresa portuguesa e familiar, com saber acumulado há cinco gerações, que aproveita estes dias de “ficar em casa” para aconselhar gratuitamente todos os interessados no restauro e remodelação de peças. O processo é simples e feito online: basta “partilhar imagens das peças nas stories do Facebook/Instagram com uma breve descrição do projecto que tem em mente e identificar a @marcenariartisticapereira”, sem esquecer a hashtag #vamosbaternamadeira (nota: se o perfil for privado, deve enviar também por mensagem privada). Na impossibilidade de manter a política de oficina aberta, as portas abrem-se no mundo virtual para ensinar quem está em casa a lidar com o bicho (incluindo o da madeira). C.A.M.

Jogo
Brincar ao coronavírus com o "Virus Fight Club"
Um jogo didático que põe os participantes a percorrer várias cidades, com o objectivo de recolher o maior número possível de vacinas e máscaras para enfrentar o coronavírus. No percurso, e lembrando as orientações da Organização Mundial de Saúde, o jogador tem de evitar as situações de risco e manter o distanciamento de pessoas a espirrar e a tossir, e de grupos, entre outros obstáculos. No mundo virtual tal como no real, a lavagem frequente das mãos é sempre uma vantagem. A ideia tem a assinatura da startup Magikbee, com sede em Braga, que com este "Virus Fight Club" põe todos a olhar na mesma direcção e a lutar com o que agora é o inimigo número um do planeta. O jogo está disponível em várias línguas, para "smartphones" e "tablets" (em breve também para computador em www.virusfightclub.com), e pode ser descarregado e usado de forma gratuita. C.A.M.

Actividades
Escuteiros de trazer por casa
O lema não engana: “De casa em casa a tornar o mundo melhor!”. O Corpo Nacional de Escutas, que tem no activo mais de 70 mil elementos, sai do terreno e entra no lar de cada um através da página www.escutismoemcasa.pt. Recomendações, iniciativas, jogos, tele-reuniões com a patrulha, celebrações e trabalhos de progresso e especialidades são apenas algumas das valências online, para que mesmo à distância, escuteiros e não escuteiros possam pôr em prática a premissa de deixar o mundo melhor. As participações vêm de todo o país, com equipas de apoio à protecção civil, autarquias e organizações sociais, ao serviço do Ministério da Educação fazendo a ponte entre escolas e alunos sem recursos digitais e a trabalhar com a população inserida no grupo de risco desta pandemia, por exemplo. No site, vale a pena espreitar o "Kit de Sobrevivência", uma secção com dicas para planear os dias da quarentena, o estudo em casa ou a produtividade no teletrabalho. C.A.M.

Actividades
Navigator "Dá a Mão à Floresta"
Aproveitando este tempo para sensibilizar os mais novos para a importância da protecção e valorização da floresta nacional, a The Navigator Company propõe uma série de actividades "online", integradas no seu projecto educativo "Dá a Mão à Floresta". Até ao final do mês de Abril, estão disponíveis episódios de desenhos animados, histórias infantis em "Contos da Floresta" e os concertos da "Floresta Musical". A animação não fica por aqui: no site do projecto, podemos também encontrar jogos variados, que podem ser descarregados e impressos em papel (Jogo da Memória, Jogo da Corrida, Dominó dos Animais, Bichinhos de Imitação) ou de participação interactiva na plataforma (caso do À Sombra das Árvores). Quem entrar no Jardim da Diversão tem direito a artigos com curiosidades, dicas de corte e costura, piadas e adivinhas. Está tudo à mão de semear, em www.daamaoafloresta.pt e nas respectivas redes sociais. C.A.M.

Jogo
Jogar ao Stop
O jogo é muito simples e certamente que se recorda dele, dos tempos mortos na escola. Cada um tem uma folha de papel à frente e traça uma linha na horizontal, por cima da qual escreve “nomes, TPC (terras, países ou cidades), animais, objecto, marcas, profissões e famosos”, divididos por linhas na vertical. Feito o esquema, cada um tem a sua caneta e está preparado para jogar. Um dos jogadores diz bem alto a primeira letra do alfabeto “A” e, para si, vai desfiando as letras seguintes até que alguém, anteriormente escolhido diz “stop”. Calhou, por exemplo, o “C”: é preciso preencher os espaços com palavras que comecem por aquela letra. Se for o único a escrever “cão”, contabiliza 10 pontos; se todos responderem “CR7”, têm cinco pontos; se só um dos jogadores conseguir responder a uma das categorias, arrecada 20 pontos. Ganha, claro está, quem tiver mais pontos. B.W.

Jogo
Science4you com desconto
Se a Porto Editora e a Leya abriram o acesso gratuito às suas plataformas de ensino, a Science4you dá um desconto de 20% nos seus jogos a quem os comprar online até 31 de Março. A ideia é que, estando pais e filhos em isolamento, promover, por um lado, a compra à distância, e, por outro, o acesso a actividades que são pedagógicas, mas também divertidas, já que se tratam de jogos. A marca lembra, em comunicado, que a sua “missão” é “melhorar os níveis de educação na sociedade desenvolvendo brinquedos que permitam às crianças aprender enquanto brincam”. B.W.

 

Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus.