Guialazer

Jardim Botânico de Lisboa

Por DR

Votos dos Leitores


Média da votação dos leitores, num total de 42 votos
(carregue na posição pretendida para votar)


30.08.12 Por Marco Puga

É, decerto, um dos lugares mais frescos da capital. E, recuperado, o Jardim Botânico de Lisboa reclama por visitantes que testemunhem a presença de um verdadeiro mapa-múndi orquestrado por plantas, de grande e pequeno porte, provenientes de todo o mundo.


Ao longo de quatro hectares é possível encontrar vidas dos cinco continentes e, por todos os cantos, imperam o silêncio, a tranquilidade e o frescor. E, agora, surge de cara lavada. Os arruamentos principais foram nivelados, taparam-se buracos, pintaram-se bancos, arranjaram-se pontes. Até há a possibilidade de ouvir a água a correr, o que não que não acontecia há mais de dez anos, devido à impermeabilização do lago principal.

O Jardim Botânico, Monumento Nacional, representa um património de inegável interesse histórico, cultural e científico, integrado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, tendo o Museu de Ciência da universidade e o Museu Nacional de História Natural como vizinhos.

Em complemento ao jardim, sugere-se uma visita ao Borboletário, reaberto na Primavera, que permite conhecer as espécies de borboletas que existem em Portugal. Para saber ainda mais sobre as borboletas, nomeadamente as 135 espécies diurnas que existem em Portugal, poderá inscrever-se num curso que decorre a 15, 16, 22 e 23 de Setembro, que inclui até uma saída de campo para observar algumas borboletas no seu habitat.

Entre um vasto leque de actividades, poderá também visitar a exposição “A Aventura da Terra - um planeta em evolução” no Museu Nacional de História Natural; no domingo, há visitas guiadas aos sábados e domingos, às 16h, não sendo necessária marcação prévia (e no último domingo de cada vez, visitas dramatizadas com a “presença” de Darwin).



Última actualização a 30-08-2012
Se algum destes dados não estiver correcto, diga-nos.