Guialazer

Eu vou (2 Pessoas vão a este evento)

Por Sílvia Pereira

Música, vídeo, fotografia, instalação, "performance", cinema… São muitas as artes a confluir para Famalicão para alimentar mais uma edição – a terceira – do festival Binnar.


A terceira edição do festival exibe uma mostra de curtas-metragens do colectivo Creatura na Casa das Artes, seguida do filme "Mekong Hotel", de Apichatpong Weerasethakul. No Parque da Devesa, recebe "Whisperings", "performance" sonora e visual de Frederico Dinis. O Convento de Arnoso é ocupado por uma "Mara:Tone" de trabalhos em vídeo e pelos "feedbacks" sem moderação dos 10 000 Russos. Musicalmente falando, o Binnar acolhe ainda a indie-folk de Alex Hedley n'A Casa Ao Lado, os sons kraut-minimais dos Hyggelig na Fundação Castro Alves e o projecto imersivo Gãrgoola no Cru - Espaço Cultural. No Museu da Indústria Têxtil, o compositor Eduardo Patriarca estreia uma obra baseada em sons do interior da fábrica. O local é também alvo de intervenções artísticas sobre a memória têxtil do Vale do Ave e cenário da projecção de mais uma série de vídeos seleccionados pelo festival. Nem a feira local escapa: é tomada pela intervenção "clown" "(Des)Alinhar". Isto enquanto a Galeria Soledade Malvar recebe a colectiva de fotografia "Bluzhdat", e decorrem oficinas diversas pela cidade.