Guialazer

Eu vou (0 Pessoas vão a este evento)

Por Sílvia Pereira

Oito meses de filmagens, 11 equipas, seis embarcações e, entre pescadores, artistas e mergulhadores, mais de 40 participantes no total.


Os números dão uma ideia da dimensão do projecto em que a cineasta e fotógrafa Maya de Almeida Araújo mergulhou para produzir uma obra exclusiva para o Oceanário. Especialista em captar imagens subaquáticas, viajou pelo território marítimo português, do continente às ilhas.

O que os números não traduzem é o impacto e envolvência da instalação imersiva que daí resultou: "One - O Mar Como Nunca o Sentiu".

A artista descreve a exposição – a primeira que faz em solo luso – como "uma viagem introspectiva". "Estamos ligados ao oceano de forma física, cognitiva e emocional porque somos manifestações da própria vida e essa sabedoria vive dentro de nós", acrescenta. "No oceano somos um."